Engenheiro cria duplicador de vagas de garagem com sistema inteligente

Segundo Newton, dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço, mas, se depender do Eng. Mecânico Lucas Amaral Costa, dois carros podem ocupar a mesma vaga na garagem.

 

Durante o mestrado que realizou no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Minas Gerais, sob orientação do prof. Alessandro Corrêa Victorino, o Engenheiro propôs a criação de um duplicador de vagas de garagem que proporciona uma área de estacionamento mais livre de obstáculos, em comparação com os outros modelos já existentes no mercado.

O dispositivo possibilita que dois veículos estacionados ocupem o lugar de apenas um. De acordo com Eng. Mec. Lucas, o duplicador é uma combinação de máquinas simples propostas pelo filósofo grego Arquimedes, sendo elas: roda e eixo, plano inclinado, alavanca e polia. “Imagine uma plataforma, isto é, um plano inclinado onde o primeiro veículo se estaciona. Essa plataforma é articulada de forma a elevar o veículo, permitindo o estacionamento de um segundo automóvel no espaço abaixo do primeiro”, explica. Para acionar a plataforma que sobe, conta-se com a ajuda de um motorredutor que enrola um cabo de aço, erguendo a plataforma e o veículo estacionado sobre ela.

Duplicador de Vagas de Garagem

O Engenheiro começou a desenvolver o duplicador em 2016, depois de retornar de um intercâmbio acadêmico na Alemanha, onde aprendeu muito sobre Engenharia Mecânica. “Observei que tais sistemas de estacionamento são comuns no país europeu e foi assim que surgiu a ideia de desenvolver essa área no Brasil também, propondo um sistema que fosse mecanicamente simples e, ao mesmo tempo, contasse com tecnologia embarcada”, relatou.

Logo no início, o maior desafio foi dimensionar a plataforma elevatória. “O fato de a plataforma estar em balanço gera uma torção na estrutura, que requer dimensionamento. Conforme explicado com mais detalhes na minha dissertação, no dimensionamento de componentes mecânicos, os elementos a serem calculados devem suportar as cargas com segurança. Por este motivo, os elementos são calculados para que ocorra apenas deformação elástica e não plástica. Esta tensão, que oferece ao elemento mecânico uma condição de trabalho segura, é denominada tensão admissível”, acrescenta.

O projeto continua sendo desenvolvido no doutorado que Lucas está fazendo no momento e, o próximo desafio é o desenvolvimento de um sistema inteligente. “Queremos que seja robusto e de baixo custo para auxiliar o motorista nas manobras de estacionamento. Composto por sensores, câmeras e algoritmos, o sistema utiliza visão computacional para evitar colisões e guiar o motorista durante a manobra de estacionamento”, explica.

O sistema inteligente e a plataforma em balanço são, segundo o Engenheiro, os diferenciais do projeto. “Os modelos já comercializados geralmente utilizam acionamento hidráulico ou por fuso. O modelo proposto apresenta inovações para o estado da arte dos duplicadores. A plataforma em balanço proporciona uma área de estacionamento mais livre de obstáculos. O sistema inteligente é outra inovação. Algoritmos foram implementados para facilitar a tarefa do motorista e evitar acidentes”, disse.

O modelo conta com uma roldana móvel no acionamento, uma plataforma funcionando como alavanca, e uma montagem alternativa (figura), em que o motorredutor está instalado no teto, proporcionando uma área de estacionamento ainda mais livre de obstáculos para o veículo inferior

O produto ainda não está no mercado, mas oferece benefícios para o consumidor, segundo Lucas. O acréscimo de uma vaga de estacionamento, vinculada a um apartamento ou sala comercial, por exemplo, valorizaria bastante o imóvel. “Assim, o custo de aquisição do duplicador seria convertido em uma valorização do imóvel que supera muito o valor do investimento”, acredita. Atualmente, para lançar o produto no mercado, o Engenheiro depende de um investidor disposto a financiar a fabricação em larga escala. A tecnologia que desafia a Lei de Newton, porém, já está garantida.

 

Lucas Amaral Costa realizou o mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da UFMG, sob orientação do prof. Alessandro Corrêa Victorino, com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Atualmente, faz doutorado no mesmo programa de pós-graduação, sob orientação do prof. José Guilherme Coelho Baeta.

Para saber mais sobre o duplicador de vagas de garagem, acesse a dissertação completa em:

http://hdl.handle.net/1843/31612

© 2021 CREA-RS. Todos os direitos reservados.