Processo Eleitoral no Rio Grande do Sul

NOTÍCIAS DO CREA-RS

Para Rigatto, 1º vice-presidente no exercício da Presidência, o pleito transcorreu com tranquilidade em todas as Inspetorias e sede. “Em uma votação em plena pandemia, um dia chuvoso no Rio Grande do Sul todo, e nós superamos os 3,5 mil votantes de um público de 46 mil aptos a votar”, destacou.

Eleição na sede do CREA-RS, em Porto Alegre, com todos os protocolos de segurança

Agradeceu aos profissionais que participaram, aos candidatos que concorreram ao pleito e aos funcionários que estiveram a serviço do processo eleitoral. “Gostaria de cumprimentar a Eng. Nanci Walter, que foi vitoriosa no nosso pleito e, sobretudo, agradecer a nossa chamada de que houvesse uma participação efetiva na votação. Quero dizer que este número supera todas as eleições anteriores em número de votos, o que nos leva a crer que, se não fossem as dificuldades que nós tivemos, teríamos uma presença ainda maior. Então, gostaria de cumprimentar os vencedores e fazer um agradecimento muito especial à dedicação da nossa Comissão Eleitoral (CER-RS) neste pleito, à força de trabalho do CREA-RS, sempre muito dedicada, atenciosa e comprometida com o Conselho’, ressaltou.


Coordenador das Inspetorias do CREA-RS, Eng. Marcos Antônio Kercher

“Dever cumprido”, destaca o coordenador das Inspetorias do CREA-RS, Eng. Marcos Antônio Kercher, além de agradecer a cada inspetor, funcionário das Inspetorias, representantes das Zonais das Inspetorias, conselheiro representantes das entidades de classe, entidades de classe, mesas eleitorais das Inspetorias e Comissão Eleitoral Regional (CER-RS). “Meu muito obrigado pelo excelente trabalho e empenho de todos, mostramos que podemos fazer uma eleição sem desafetos, sem julgar e sim, com união e muito trabalho. Agradeço de coração! Espero que todos tenham atingido, de alguma forma, a sua meta com o intuito de melhorar nosso Conselho e dar mais representatividade, mostrando aos diversos profissionais que somos uma classe unida e batalhadora”.


Em sua manifestação, o coordenador do CDER-RS, Eng. Civil Jorge Köche, diz que mede as situações através da régua que usa para a sua vida. Sendo assim, entende que a dedicação de inspetores, membros de comissões, presidentes de entidades, CDER, conselheiros e diretoria tem um fundo honorífico louvável. “Retirar horas do convívio familiar e de trabalho para se dedicar aos profissionais é algo que deve ser prazeroso, caso contrário não vale a pena. Quando vemos algo errado, que nos incomoda, temos duas opções: aceitar ou tentar mudar. É isso que vejo em cada um que assume uma das funções acima descritas. Tentativa de mudar algo que incomoda. Nem sempre conseguimos seguidores, e às vezes, até opositores. Mas se o objetivo vale a pena, continuar trabalhando é um princípio. Atravessar períodos ruins é sinal que estamos sendo chamados. Vamos refazer os caminhos do CREA-RS com a força dos profissionais e, sobretudo, das EC e seus conselheiros”, conclama.

0 comentário